Loading...

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Prazo para envio do censo escolar 2011

Os gestores escolares de instituições públicas e privadas têm prazo até 14 de agosto para enviar as informações do censo escolar 2011. Este ano não haverá prorrogação do prazo de envio dos formulários. As escolas que não fornecerem os dados ficarão impossibilitadas de participar de diversos programas do Ministério da Educação. O censo é uma pesquisa realizada junto aos estabelecimentos de ensino para levantamento de dados e informações relativas à educação básica, com o objetivo de subsidiar a elaboração de análises, diagnósticos e planejamento do sistema educacional do País. Políticas públicas que promovam um ensino de qualidade para todos os brasileiros serão definidas e monitoradas a partir desses dados. Outra função do censo é apresentar a situação educacional do País e acompanhar a efetividade das políticas públicas. Os dados são coletados por meio de um sistema de acesso via internet, o Educacenso: educacenso.inep.gov.br/Autenticacao/index , http://www.mec.gov.br/  ou pelo telefone 0800 616161.

Acordo com empresas privadas para custear bolsas

Centros de P&D podem absorver futuros pesquisadores.


Uma das metas do programa é firmar parceria com o setor privado, que ficaria responsável por arcar com o pagamento das bolsas no exterior, especialmente nas universidades mais disputadas no mundo, que cobram valores entre US$ 30 mil e US$ 50 mil, por ano, por estudante. A ideia é que um acordo firmado pelo CNPq ou pelo Capes com uma instituição privada qualquer, estabeleça uma cota fechada de estudantes para ingresso em uma universidade selecionada pelo Ciência Sem Fronteiras.

A abertura dos Centros de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (P&D) de empresas multinacionais no Brasil para estágios dos estudantes e pesquisadores brasileiros é outro alvo a ser alcançado pelo programa, assim como a possibilidade de fixação dos estudantes na filial brasileira quando do retorno ao País. Além disso, outras empresas que criarem seus Centros de P&D no Brasil poderão contratar engenheiros e pesquisadores no País e enviá-los para treinamento no exterior, com apoio adicional das bolsas do programa.

Fonte: Secretaria de Comunicação da Presidência da República

Ciência Sem Fronteiras estabelece modalidades para diversos públicos

As bolsas serão reservadas aos que obtiverem mais de 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio / Foto: Portal Brasil
Com a intenção de formar a nova base de pensamento educacional o programa Ciências Sem Fronteiras oferecerá oportunidades a um público variado, ao estabelecer níveis de graduação na concessão de bolsas.


Bolsa Brasil Graduação - Destinado aos alunos com melhor aproveitamento nos canais de seleção estipulados, a Bolsa Brasil Graduação terá duração de um ano, sendo que entre seis e nove meses deverão ser cumpridos no meio acadêmico e o restante compensado em Empresas ou Centros de Pesquisa e Desenvolvimento. A bolsa inclui passagem aérea, bolsa mensal, seguro-saúde, auxílio instalação, taxas de uso de infra-estrutura e, em parcerias com empresas, excepcionalmente pode incluir taxas escolares. As universidades selecionadas deverão aproveitar também alunos premiados em olimpíadas científicas, além de recrutar os melhores estudantes de iniciação científica e tecnológica. Em todos os casos, cada instituição deve selecionar os bolsistas por chamadas públicas competitivas, abertas aos estudantes elegíveis. Além disso, universidades brasileiras devem reconhecer os créditos feitos no exterior.

Bolsa Brasil Jovem Cientistas de grande talento no Brasil - Com duração de até três anos, a Bolsa Brasil Jovem cientistas de grande talento no Brasil é destinada a jovens pesquisadores com produção científica ou tecnológica diferenciada para desenvolver atividades com um grupo de pesquisas no Brasil ou em empresas. Serão elegíveis jovens cientistas talentosos em início de carreira, prioritariamente brasileiros que tenham se destacado qualitativamente e quantitativamente pela produção científica ou tecnológica. Será estimulada a alocação destes bolsistas em todas as regiões do País, especialmente através de convênios com as fundações estaduais de apoio a pesquisa. A instituição de destino no Brasil deve oferecer a infraestrutura necessária ao desenvolvimento do projeto.

Pesquisador Visitante Especial no Brasil - Serão elegíveis grandes lideranças científicas internacionais, prioritariamente brasileiros radicados no exterior para atuarem como Pesquisador Visitante Especial no Brasil durante três anos. O pesquisador assume o compromisso de vir ao País com regularidade previamente definida (dois meses a cada ano) e a receber estudantes e pesquisadores brasileiros no seu laboratório no exterior. Também será preciso manter uma associação com grupo no Brasil que ficará responsável pelo gerenciamento do projeto. Entre os benefícios estão a Bolsa de Visitante Especial quando está no Brasil, o custo de uma viagem anual para o pesquisador e recursos de custeio para a pesquisa.

Treinamento de Especialistas e Engenheiros de Empresas no Exterior - Serão escolhidos especialistas e engenheiros de empresas ou Instituições de Ciência e Tecnologia que necessitam absorver ou aperfeiçoar técnicas específicas. Devem necessariamente ter sido aceito para as melhores universidades do mundo, ou principais institutos de pesquisa básica ou tecnológica reconhecidos internacionalmente. O período de treinamento será de até 12 meses.

Fonte: Secretaria de Comunicação da Presidência da República

Estudantes do nível médio ao pós-doutorado terão 75 mil bolsas em universidades no exterior


Programa Ciência Sem Fronteiras também pretende atrair pesquisadores que estão fora do País.

Aumentar a presença de estudantes e pesquisadores brasileiros em instituições de excelência no exterior e fomentar o conhecimento inovador dos trabalhadores para impulsionar a competitividade da indústria nacional. Esses são objetivos do programa “Ciência Sem Fronteiras”, lançado pelo governo federal nesta terça-feira (26), que vai custear 75 mil bolsas de intercâmbio nas principais universidades do exterior para estudantes do nível médio ao pós-doutorado. Serão investidos R$ 3,16 bilhões em 35 mil bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e em outras 40 mil da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

As áreas selecionadas pelo programa são Ciências da Saúde, Ciências da Vida e Engenharia e Tecnologias. Pelo programa, 27.100 bolsas serão destinadas à graduação; 24.600 para doutorado de um ano; 9.790 para doutorado integral; e 8.900 para pós-doutorado. Além disso, 2.660 vagas serão reservadas para estágio sênior de seis meses; 700 delas para treinamento de especialistas de empresas no exterior; 860 para jovens cientistas de grande talento; e 390 para pesquisadores visitantes especiais no Brasil. O governo espera que a iniciativa privada participe do programa com outras 25 mil bolsas de estudo, totalizando 100 mil.

Mérito - Os bolsistas serão escolhidos por mérito. A seleção será feita a partir do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), gerenciado pelo Ministério da Educação, e pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aos alunos que atingirem nota mínima de 600 pontos. Neste momento, estão aptos a concorrerem às bolsas 124 mil alunos em todos os 27 estados. Serão contemplados os estudantes com produção científica diferenciada, alunos premiados em olimpíadas científicas e que já tenham completado no mínimo 40% e no máximo 80% dos créditos necessários para obtenção do diploma. Os estudantes e pós-doutores do Ciência Sem Fronteiras terão o seu treinamento nas melhores instituições disponíveis, prioritariamente entre as 50 mais bem classificadas nos rankings da Times Higher Education e QS World University Rankings.

Áreas Prioritárias

● Engenharias e demais áreas tecnológicas

● Ciências Exatas e da Terra: Física, Química, Geociências

● Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde

● Computação e Tecnologias da Informação

● Tecnologia Aeroespacial

● Fármacos

● Produção Agrícola Sustentável

● Petróleo, Gás e Carvão Mineral

● Energias Renováveis

● Tecnologia Mineral

● Tecnologia Nuclear

● Biotecnologia

● Nanotecnologia e Novos Materiais

● Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais

● Tecnologias de Transição para a Economia Verde

● Biodiversidade e Bioprospecção

● Ciências do Mar

● Indústria Criativa

● Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva

● Formação de Tecnólogos

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Edital para o Concurso da Petrobras

Saiu o Edital para 587 vagas na Petrobras. O Concurso Petrobras 2011 oferece vagas para cargos de nível médio e superior. A remuneração para os aprovados no concurso da Petrobras é de até R$ 6.217,19.


Maiores detalhes no link:  http://www.cesgranrio.org.br/

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Pessoas com deficiência visual terão recurso da audiodescrição na TV aberta

A partir desta sexta-feira (1º), as emissoras com sinal aberto deverão oferecer pelo menos duas horas semanais de programação com audiodescrição, recurso obtido em um segundo canal de áudio, que narra, em língua portuguesa, as imagens que estão aparecendo na tela da TV.

A audiodescrição, integrada ao som original da obra audiovisual, contém descrições de sons, elementos visuais e quaisquer informações adicionais —como expressões faciais, figurinos ou efeitos visuais — que sejam relevantes para possibilitar a melhor compreensão do vídeo por pessoas com deficiência visual e intelectual.

O recurso estará disponível nas emissoras que já trabalham com o sinal digital. Em casa, o usuário deverá apertar a tecla SAP no controle remoto do televisor para ter acesso ao segundo canal de áudio, que irá trazer a descrição detalhada das cenas. As informações visuais são inseridas entre os intervalos do áudio, com o cuidado de não sobrepor diálogos ou ruídos importantes para a compreensão da narrativa.

A meta do governo é que, em dez anos, todas as emissoras geradoras e retransmissoras de radiodifusão em sinal digital do Brasil exibam, no mínimo, vinte horas semanais de programas audiodescritos, na programação veiculada no horário compreendido entre as seis horas da tarde e duas horas da madrugada.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidencia da República







Brasileiros terão Internet de 1 Megabit a R$ 35

Concessionárias oferecerão com recursos próprios serviço de internet em 90 dias


        Objetivo é garantir acesso para 40 milhões de domicílios até 2014 
             Foto: Prefeitura Municipal de Barra do Corda - MA

As concessionárias de telefonia fixa  Oi, Telefônica, Sercomtel e CTBC, passarão a oferecer banda larga de 1 Megabit a R$ 35. O serviço começa a ser ofertado em 90 dias. Com as novas medidas o objetivo é atender 40 milhões de domicílios até 2014. A medida é resultado de um acordo do governo com as empresas e será instituída por decreto, publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (1º).

Segundo o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, o preço da internet custa no Brasil, em média, R$ 70 e cairá para metade do preço após a negociação com as concessionárias. As empresas não poderão fazer venda casada, ou seja, obrigar o consumidor a comprar outro produto além da conexão à internet.

Os investimentos serão realizados pelas empresas com recursos próprios para que a velocidade da banda larga seja aumentada de forma gradativa até alcançar 5 Megabits em 2014. “Eu imagino que, no máximo em trinta dias, as empresas farão a adaptação necessária para começar a oferecer o serviço. Para atingir todo o território nacional, estamos estabelecendo um prazo até 2014, ou seja, as empresas farão a implantação desse serviço gradativamente”, disse Bernardo.

O governo considera que, mesmo baixando o preço da internet a R$ 35, parte da população não conseguirá ter acesso à Internet e já pensa numa solução a longo prazo. “Vai chegar um momento em que nós teremos que definir o que fazer com aquelas famílias que mesmo com esse preço mais baixo não terão condições de ter internet. Certamente terá que fazer um plano de universalização e já estamos pensando nisso. De qualquer forma, já estamos dando um impulso enorme com esse preço menor”, avaliou o ministro.

Os novos preços e as características do serviço serão divulgados pelas empresas e pelo governo. A respeito da qualidade mínima do serviço a ser oferecido, Bernardo informou, que, até 31 de outubro, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deverá aprovar a regulamentação para a internet, tanto da fixa quanto da móvel.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidencia da República