Loading...

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Royalties: Parlamentares fluminenses comemoram decisão do STF

Ministro Luiz Fux concede liminar suspendendo sessão do Congresso Nacional que iria analisar o veto da presidenta Dilma Rousseff à nova lei

POR Aurélio Gimenez

Rio - Os parlamentares do Rio comemoram a decisão do STF. Vice-líder do governo na Câmara, o deputado Hugo Leal (PSC) havia alertado contra a arbitrariedade da votação de quarta passada: “O Veto 38 era um veto fantasma, pois nem sequer tinha sido publicado no Diário Oficial. Não pode haver urgência para vetos presidenciais. Por isso, aquela sessão do Congresso era passível de nulidade. Dito e feito”.

Para o deputado Fernando Jordão (PMDB), a liminar do Supremo mostrou que a justiça deve prevalecer sobre a truculência. “A aprovação do regime de urgência era um absurdo. O ministro Fux teve sensibilidade para julgar o caso respeitando a Constituição e os direitos adquiridos”.

Presidente do Congresso, senador José Sarney (PMDB-AP) afirmou que vai recorrer para que haja sessão: 'É uma decisão interna do Congresso'
Foto: Divulgação  
Já o deputado Sérgio Zveiter (PSD) lembrou que o Rio faz jus aos royalties, “que são receitas fundamentais para a sobrevivência do estado e dos municípios fluminenses”.


Rio obtém vitória no STF

Após algumas derrotas no Congresso, o Rio de Janeiro obteve uma vitória na briga em defesa dos royalties de petróleo fluminense. O Supremo Tribunal Federal (STF)suspendeu ontem a realização da sessão que analisaria o veto da presidenta Dilma Rousseff ao Artigo 3º da lei que estabeleceu novas regras de distribuição da arrecadação dos recursos do petróleo.

Se dependesse do Congresso e dos parlamentares dos estados não produtores, a análise do veto seria hoje, em sessão marcada ontem pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Como na semana passada, quando houve tumultuada e irregular votação, certamente, se ocorresse votação, os estados produtores — Rio de Janeiro e Espírito Santo — seriam novamente massacrados.

Mandado de segurança

A liminar suspendendo a sessão de hoje foi concedida pelo ministro do STF Luiz Fux, que acolheu o pedido de mandado de segurança impetrado pelo deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ). Ele protestou contra o regime diferenciado adotado na questão dos royalties, lembrando que há mais de três mil vetos pendentes de apreciação no Congresso, vários deles com o prazo expirado.

“A necessidade de proteger as minorias parlamentares de eventuais abusos como esse tem sido destacada em importantes precedentes dessa egrégia Corte, muitos dos quais sequer envolviam violações tão graves e manifestas”, manifestou Alessandro Molon no pedido de liminar.

O parlamentar comemorou a decisão do STF, afirmando que foi restabelecida a legalidade e recolocado o debate dos vetos dentro dos princípios constitucionais e regimentais. “Ficou claro que, mesmo as maiorias devem respeitar a Constituição”, disse o parlamentar petista.

O senador José Sarney disse que vai recorrer da medida. Ele alega que é uma decisão interna do Congresso.


Judicialização

VETO PRESIDENCIAL

O veto da presidenta Dilma Rousseff ao artigo 3º da lei dos royalties garantiu aos estados produtores a manutenção dos recursos aos contratos já licitados.

URGÊNCIA AO VETO

Na quarta-feira passada, o Congresso aprovou pedido de urgência para análise do veto, passando à frente de três mil outros vetos que estão parados no Legislativo. Parlamentares dos estados produtores denunciaram uma série de irregularidades constitucionais e regimentais ocorrida na votação e recorreram ao STF.

LIMINAR PARA SESSÃO

Ontem, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal suspendeu a sessão de hoje. “Defiro o pedido liminar nos termos em que formulados para determinar à Mesa Diretora do Congresso Nacional que se abstenha de deliberar acerca do veto parcial número 38/2012 antes que se proceda à análise de todos os vetos pendentes com prazo expirado até a presente data, em ordem cronológica de recebimento da respectiva comunicação, observadas as regras regimentais pertinentes”, escreveu o ministro em sua sentença.





quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

DESTAQUES NA IMPRENSA

RESUMO DA IMPRENSA I

Fonte: Gerência de Imprensa da Comunicação Institucional da Petrobras



Quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Link para o Flip Clipping em Blackberry:

http://flipclipping.petrobras.com.br/flipbook/resumo-da-imprensa-12-12-12.htm


Link para o Flip Clipping em computador:

https://asp-br.secure-zone.net/v2/index.jsp?id=2225/2783/4571&lng=pt_br



DESTAQUES NA IMPRENSA


O Estado de S. Paulo: “Distribuição de gasolina está no limite”. Folha de S.Paulo, Jornal do Commercio, Brasil Econômico e Agência Estado também trazem o assunto.

O principal destaque de hoje são as matérias sobre o percentual de aumento da venda de combustíveis este ano, que será seis vezes maior que o do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

O Estado de S. Paulo (B8) informa que o porcentual de aumento da venda de combustíveis neste ano será seis vezes maior que o do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todas as riquezas do País. O descompasso, que vem ocorrendo desde 2006, alcançará em 2012 a maior disparidade, diz o texto. Segundo estimativa do Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), a alta nas vendas será de 6,3%, enquanto a economia deverá crescer apenas 1%, na média das projeções do mercado, de acordo com o Banco Central (BC). A matéria afirma que a combinação de superaquecimento do consumo e deficiências logísticas cria dificuldades para garantir o fornecimento e “já preocupa a Petrobras, a ponto de a Companhia ter alterado os contratos com as empresas distribuidoras”, segundo o presidente do Sindicom, Alísio Vaz. Em nota, a Petrobras negou ter alterado prazos nos contratos, afirma o texto. Agência Estado, Folha de S. Paulo (B7), Jornal do Commercio (A5) e Brasil Econômico (11) também noticiam o assunto.

ABASTECIMENTO

DISTRIBUIÇÃO

O Valor Econômico (A4) publica que a Petrobras negocia com as distribuidoras de combustíveis associadas ao Sindicom (Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes) um aumento de 20% a 50% da capacidade de estocagem de combustíveis em regiões distantes dos centros de refino (concentrados no Sul e Sudeste) e que, por isso, recebem combustíveis por cabotagem. O presidente do Sindicom, Alísio Vaz, afirma que as negociações entre a Petrobras e as distribuidoras começaram entre maio e junho.

REAJUSTE

Em matéria na Folha de S. Paulo (B7), o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli diz que a necessidade de elevação do preço do combustível é "inexorável". "Vai ter que ter aumento, o problema é o momento. Não vejo como não ter", disse ao jornal o atual secretário de Planejamento da Bahia. Segundo o texto, Gabrielli afirmou que, com o crescimento acelerado do mercado interno de combustível, as refinarias da Petrobras atingiram o limite de capacidade de refino e, portanto, é preciso importar derivados.

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO

SERGIPE-ALAGOAS

O Estado de S. Paulo (B8) noticia que a Bacia de Sergipe-Alagoas terá de esperar entre sete e oito anos pelo início da produção nas cinco descobertas registradas este ano. A reportagem diz que ela entrará na “fila de espera do pré-sal", como respondeu o Ministério das Minas e Energia a um pedido do governo de Sergipe. Segundo a matéria, o governo local considerou que o Estado seria uma prioridade para a Petrobras, disse o assessor econômico do governo sergipano, Ricardo Lacerda. De acordo com o texto, a Petrobras negou, em nota, que haja limitações para produzir em Sergipe-Alagoas: "No momento em que esse potencial (da bacia) estiver delimitado, a Companhia decidirá sobre o melhor projeto para o desenvolvimento da produção dos campos descobertos". Jornal do Commercio (A5) e Agência Estado repercutem o assunto.

INSTITUCIONAL

PRÊMIO

O Jornal do Commercio (A13) traz matéria sobre a segunda edição do Prêmio Líderes do Brasil, realizado pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais e o SBT, na noite de segunda-feira. A presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, aparece entre os contemplados na categoria Líder na Indústria de Óleo e Gás, de acordo com o texto. O SBT, em duas veiculações, mostrou os vencedores do prêmio, entre eles o diretor de Engenharia, Tecnologia e Materiais da Petrobras, José Antonio de Figueiredo, representante da Companhia no evento.

MODELO

A coluna Panorama Econômico, em O Estado de S. Paulo (B2), publica que o presidente do México, Enrique Peña Nieto, declarou que a Petrobras é um modelo a ser seguido e elogiou o país: “O Brasil tem uma estrutura legal que permite criar alianças estratégicas, que é o que estou propondo ao setor privado”.

ENGENHARIA

ESTALEIRO INHAÚMA

A Brasil Energia Online noticia que o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) liberou o funcionamento do Estaleiro Inhaúma, no Rio de Janeiro, arrendado pela Petrobras e interditado na última quinta-feira. Segundo a matéria, as obras de conversão do casco da FPSO P-74 foram retomadas segunda-feira. O texto diz que a Companhia informou que agentes do MTE estiveram no estaleiro e constataram que tudo foi regularizado: “A interdição havia sido motivada por não conformidades em alguns aspectos da obra, como sinalização de espaços confinados, documentação de uma ponte rolante e procedimento de montagem de andaimes”.

RIO GRANDE DO SUL

O Brasil Econômico (10), com chamada na capa, divulga evento de petróleo e gás, promovido pelo veículo, que debate os frutos da atuação da Petrobras no Sul do país. A matéria diz que antecipar as demandas por serviços é o maior desafio da indústria naval no Rio Grande do Sul, à medida que a Companhia amplia sua carteira de recursos em municípios gaúchos e promove a participação de empresas fornecedoras locais no setor. Em matéria complementar, o jornal afirma que a Petrobras planeja investir R$ 10,6 bilhões na região até 2016, em construções offshore e na ampliação da refinaria Refap.

SETE BRASIL

A Folha Online publica que a Sete Brasil antecipará para 2015 a entrega da plataforma em construção no Estaleiro Brasfels, no Rio de Janeiro, que está prevista para 2016, segundo o presidente da empresa, João Carlos Ferraz. O texto afirma que a Sete Brasil irá operar 28 sondas de perfuração para a Petrobras.

PETROBRAS DISTRIBUIDORA

INVESTIMENTO

Em nota, o Valor Econômico (B12) informa que as distribuidoras de combustíveis associadas ao Sindicom (Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes) investiram R$ 1 bilhão em infraestrutura em 2012, de acordo com o presidente da entidade, Alísio Vaz. As empresas associadas ao Sindicom são Petrobras Distribuidora, Raízen, Ale e Ipiranga.

RECURSOS HUMANOS

TERCEIRIZADOS

Reportagem na revista Valor Setorial, do Valor Econômico (6-12), aborda a expansão acelerada da contratação de serviços no Brasil, principalmente a terceirização de atividades e de processos em todos os setores. Entre alguns exemplos, a matéria cita a Petrobras como um “caso emblemático”, destacando que a Companhia tem um quadro de 409 mil funcionários e “apenas 81 mil são empregados fixos”, sendo os demais 328 mil contratados através de centenas de prestadoras de serviços. Segundo estudo recente do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), o número de terceirizados na Petrobras cresceu 171% de 2002 a 2011, enquanto o de funcionários diretos, 75%, diz a reportagem.

---------------------------//-------------------------------------------------------------------------

Todas essas matérias estão disponíveis na íntegra no Multiclipping, encontrado no Portal Petrobras (clique em Central de Serviços e digite o termo Multiclipping) ou na internet (http://www.multiclipping.com).

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

ANÁLISE E REPERCUSSÃO NA IMPRENSA

RESUMO DA IMPRENSA II

Gerência de Imprensa da Comunicação Institucional da Petrobras


Terça-feira, 11 de dezembro de 2012

DESTAQUES NA IMPRENSA

Reuters Brasil: “Presidente do México cita Petrobras como modelo a seguir”. O Globo Online, Folha Online, Estadão.com, UOL, Exame Online, Terra, R7, G1 e Extra Online repercutem o tema.

ANÁLISE E REPERCUSSÃO NA IMPRENSA

O destaque no noticiário desta tarde é a declaração do presidente do México, Enrique Peña Nieto, de que a Petrobras é um modelo a ser seguido pelo país.

A Reuters Brasil destaca que o presidente do México, Enrique Peña Nieto, declarou que a Petrobras é um modelo a ser seguido por seu país. Segundo a matéria, Peña Nieto afirmou ainda que fazer uma listagem parcial de ações em bolsa de valores da empresa estatal Pemex é uma possibilidade. “O Brasil tem uma estrutura legal que permite criar alianças estratégicas, que é o que estou propondo, uma aliança estratégica com o setor privado”, disse o presidente, em entrevista à agência de notícias. O Globo Online, Folha Online, Estadão.com, UOL, Exame Online, Terra, R7, G1 e Extra Online repercutem o assunto.

ABASTECIMENTO

SINDICOM

O Estadão.com reproduz declarações de Alisio Vaz, presidente do Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom). Para ele, diz o texto, o “estresse” no abastecimento de combustíveis, com aumento da importação da gasolina e de óleo diesel e queda nas vendas de etanol hidratado, gera dificuldades para distribuidores e postos de combustíveis. Vaz afirmou, segundo a matéria, que os postos do Rio de Janeiro estão com problemas em suas encomendas desde meados de novembro, por conta de uma parada para manutenção na Reduc. De acordo com a reportagem, o presidente informou que a manutenção, por parte da Petrobras, estaria perto de terminar e que o fornecimento seria normalizado nesta semana.

R7 e IstoÉ Online também abordam o assunto, e o Valor Online publica que, segundo Alisio Vaz, a Petrobras e as empresas distribuidoras de combustíveis têm empenhado esforço muito grande para manter o abastecimento de gasolina no país. UOL, G1, O Globo Online e Extra Online repercutem essa informação.

FINANCEIRO

CAPTAÇÃO EXTERNA

A Exame Online noticia que as empresas brasileiras, lideradas pela Petrobras, bateram recorde em captações externas neste ano. De acordo com a matéria, a Companhia emitiu US$ 10,3 bilhões em dívida em dólares, euros e libras. O volume total das empresas brasileiras, diz o texto, chegou a US$ 46 bilhões em emissões, superando Rússia e China.

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO

CIDADE DE ITAJAÍ

A Agência Estado informa que a Petrobras esclareceu hoje que a FPSO Cidade de Itajaí chegará ao Brasil ainda neste mês, ao contrário do informado ontem pelo diretor de Abastecimento da Companhia, José Carlos Cosenza, que, de acordo com a AE, declarou que a unidade estaria no País apenas no início de fevereiro. A matéria afirma que, de acordo com comunicado enviado pela empresa, a produção da embarcação tem início previsto para janeiro de 2013.

OGX I

O Valor Online noticia que a OGX, do grupo EBX, planeja investir US$ 1,2 bilhão em atividades de exploração em 2013. Segundo o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da empresa, Roberto Monteiro, a companhia pretende antecipar a produção nos campos de Atlanta e Oliva, no bloco BS-4, na Bacia de Santos, onde adquiriu recentemente 40% de participação da Petrobras, informa a reportagem. G1, UOL, O Globo Online e Extra Online também noticiam o assunto.

NOVOS NEGÓCIOS

OGX II

A Agência Estado publica que a OGX trabalha com a perspectiva de conseguir o licenciamento ambiental para atuar na Colômbia em 2013. Segundo Roberto Monteiro, diretor da empresa, a OGX trabalha para ampliar a carteira de clientes em seu negócio de comercialização de petróleo, informa a matéria. Ainda de acordo com o texto, “a intenção é que até mesmo a Petrobras adquira o óleo da OGX”. “A estratégia é que o máximo de agentes do mercado conheça o nosso óleo”, disse Monteiro, segundo a reportagem.

ENGENHARIA

DORIS

A Brasil Energia Online informa que a empresa francesa Doris Engenharia, responsável pelo projeto de pré-detalhamento das FPSOs replicantes da Petrobras, planeja duplicar seu efetivo no Brasil em 2013. De acordo com o texto, a empresa possui 180 funcionários trabalhando em um escritório no Centro do Rio de Janeiro.

---------------------------//---------------------------

Todas essas matérias estão disponíveis na íntegra no Multiclipping, encontrado no Portal Petrobras (clique em Central de Serviços e digite o termo Multiclipping) ou na internet (http://www.multiclipping.com).

Últimos dias para inscrição nas seleções públicas de projetos ambientais e sociais da Petrobras


INFORMAÇÕES, FOTOS, GRAVAÇÕES DE ÁUDIO E VÍDEO

EM  WWW.PETROBRAS.COM.BR/AGENCIAPETROBRAS

SIGA A AGÊNCIA PETROBRAS NO TWITTER: @agpetrobras

Nota à imprensa

11 de dezembro de 2012

Últimos dias para inscrição nas seleções públicas de projetos ambientais e sociais da Petrobras

Terminam na próxima quinta-feira, 13, as inscrições para as seleções públicas do Programa Petrobras Ambiental e do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania. Em dois anos, a Companhia destinará R$ 102 milhões para patrocínio a projetos ambientais e R$ 145 milhões para projetos sociais em todo o país, o maior investimento de todas as edições dos programas.

As inscrições serão aceitas até as 21h (horário de Brasília) no site www.petrobras.com.br/selecoespublicas, onde constam formulários, requisitos e procedimentos. Em seguida, os inscritos terão até o dia 14 de dezembro para postar três vias do projeto, acompanhadas do formulário de inscrição e demais documentos requeridos, em única correspondência registrada e com aviso de recebimento.

Desde o lançamento das seleções públicas, em 18 de setembro, mais de 4 mil pessoas já foram capacitadas nas oficinas presenciais, e mais de 3 mil atendimentos online foram realizados. Quem tiver dúvidas sobre a seleção pode acessar o atendimento online disponibilizado no site ou ligar para o SAC da Petrobras (0800 78 9001).

A cada dois anos, a Petrobras realiza seleções públicas como forma de democratizar o acesso aos recursos e garantir a transparência do processo de patrocínio. No processo seletivo de projetos ambientais, poderão candidatar-se exclusivamente organizações sem finalidades econômicas com atuação no Terceiro Setor. Na seleção de projetos sociais, organizações governamentais também poderão enviar propostas. Em ambos os processos, os projetos deverão ser executados em 24 meses.

Os projetos ambientais devem estar relacionados ao tema "Água e Clima" e em uma das linhas de atuação do Programa Petrobras Ambiental: gestão de corpos hídricos superficiais e subterrâneos; recuperação ou conservação de espécies e ambientes costeiros, marinhos e de água doce; e fixação de carbono e emissões evitadas. O objetivo do programa é contribuir para o desenvolvimento sustentável do Brasil com investimentos em iniciativas voltadas à conservação e à preservação dos recursos ambientais e consolidação da consciência ambiental brasileira. Por isso, a educação ambiental deve ser o tema transversal de todos os projetos.

Os projetos sociais inscritos devem estar inseridos em, pelo menos, uma das seguintes linhas de atuação do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania: geração de renda e oportunidade de trabalho; educação para a qualificação profissional; garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes. O objetivo geral do programa é contribuir para o desenvolvimento local, regional e nacional, gerando a inserção social de pessoas e grupos que vivem em risco ou em desvantagem social no país, reduzindo a pobreza e a desigualdade.

Criado em 2003, o Programa Petrobras Ambiental patrocina atualmente cerca de 100 projetos, tendo alcançado dezenas de bacias e ecossistemas em seis biomas brasileiros, sendo Amazônia, Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado, Pantanal, Pampa e ambiente marinho e costeiro. O Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, criado em 2007, mantém cerca de 375 projetos patrocinados em todo o país. Suas ações já envolveram diretamente 17,6 milhões de pessoas.

Serviço

Inscrição no Programa Petrobras Ambiental e Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania

Site: www.petrobras.com.br/selecoespublicas

Prazo para inscrição na internet: até as 21 horas do dia 13 de dezembro

Prazo para postagem pelos correios: até 14 de dezembro

Endereço para postagem de projetos sociais:

Seleção Pública de Projetos 2012

Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania

Caixa Postal 3263

CEP: 20.010-974


Endereço para postagem de projetos ambientais:

Seleção Pública de Projetos 2012

Programa Petrobras Ambiental

Caixa Postal 2001

CEP 20.010-974

 

Gerência de Imprensa/Comunicação Institucional

Telefone: 55 (21) 3224-1306 e 3224-2312

Plantão: 55 (21) 9921-1048 e 9985-9623

Fax: 55 (21) 3224-3251

imprensa@petrobras.com.br






RESUMO DA IMPRENSA I

RESUMO DA IMPRENSA I

Fonte: Gerência de Imprensa da Comunicação Institucional da Petrobras



Terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Link para o Flip Clipping em Blackberry:

http://flipclipping.petrobras.com.br/flipbook/resumo-da-imprensa-11-12-12.htm

ink para o Flip Clipping em computador:

https://asp-br.secure-zone.net/v2/index.jsp?id=2225/2783/4569&lng=pt_br


DESTAQUES NA IMPRENSA

O Globo Online: “Petrobras descobre nova acumulação de petróleo leve em Sergipe-Alagoas”. O Globo, Folha Online, Valor Online, Agência Estado, Reuters Brasil, G1, Brasil Econômico Online e rádio CBN repercutem o assunto.

O principal destaque de hoje são as matérias sobre a descoberta anunciada pela Petrobras de uma nova acumulação de petróleo leve na Bacia de Sergipe-Alagoas.

O Globo Online noticia que a Petrobras descobriu uma nova acumulação de petróleo leve na Bacia de Sergipe-Alagoas, durante a perfuração do poço conhecido como Cumbe. De acordo com a matéria, o poço está localizado a 105 km de Aracaju, em profundidade d’água de 2.328 metros. Em nota, a Companhia informou que "o petróleo foi encontrado em reservatórios de boa qualidade, com 41 metros de espessura", diz o texto. A Folha Online acrescenta que a Petrobras tem 60% de participação no bloco da descoberta, e a IBV do Brasil, o restante. O Globo (26), Valor Online, Agência Estado, Reuters Brasil, G1, Brasil Econômico Online e rádio CBN repercutem a informação.

FINANCEIRO

CAPTAÇÃO

O Valor Econômico (C11) informa que a Petrobras espera fechar o ano com uma captação bruta total de recursos de US$ 25 bilhões. Segundo a matéria, esse valor é ligeiramente superior ao levantado pela Companhia no ano passado (US$ 24 bilhões) e é 56% maior que a previsão de captação bruta anual incluída no plano estratégico 2012-2016, de R$ 16 bilhões. No texto, o gerente-executivo de planejamento financeiro e gestão de riscos da Petrobras, Jorge Nahas Neto, diz que o volume de captações em 2013 deverá ser menor do que o esperado ao longo deste ano: “A gente está revendo o nosso planejamento estratégico. Só depois dessa revisão é que poderemos divulgar algum número”. Jornal do Commercio (capa, A5) e Brasil Econômico (32) também trazem o assunto.


EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO

ROYALTIES

O Correio Braziliense (15) publica artigo de Dinis Pinheiro, Presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e do Colegiado de Presidentes dos Legislativos Estaduais, sobre os vetos da presidente Dilma Rousseff ao projeto de lei que estabelece novos critérios para a distribuição dos royalties do pré-sal. Segundo Pinheiro, “a argumentação de quebra de contrato é frágil, na medida em que não existem contratos firmados entre os entes federados para exploração dos recursos minerais e as empresas que promovem tal exploração – no caso, a Petrobras – não seriam afetadas em suas relações contratuais”.

ABASTECIMENTO

PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS I

Com chamada de capa, o Valor Econômico (A3) informa que, com variações, mas nunca com uma diferença inferior a dois dígitos, o preço da gasolina vendida pelas refinarias no Brasil fechou novembro 11% abaixo do cobrado pelas fabricantes no exterior. Segundo a matéria, o número é quatro pontos percentuais maior do que há um ano e indica a defasagem entre o que a Petrobras paga ao importar combustível e o que recebe ao vender no mercado nacional. O resultado, cita o texto, além de trazer prejuízo para o setor de abastecimento da empresa, reforça a necessidade de um reajuste no preço dos combustíveis em breve.

PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS II

Matéria no Jornal do Commercio (A5) sobre a expectativa do IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis) com o leilão de novos campos em 2013 cita que, em 2012, as empresas chegaram “no limite”, impossibilitadas de renovar seu portfólio de investimentos pela falta de leilões. De acordo com o texto, “a pesada reação do Governo e da Justiça” ao acidente da Chevron, no fim do ano passado, “e as ingerências políticas sobre a Petrobras, sobretudo por causa da política de preços de combustíveis”, são outros “sustos” de que as empresas interessadas em investir no Brasil tentam se recuperar, diz a matéria.

COMPERJ

O Dia (19) informa que, ao divulgar os nomes que integrarão seu primeiro escalão ontem, o prefeito eleito de Itaboraí, Helil Cardozo (PMDB), anunciou que transformará a Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo em Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Integração com o Comperj.

PETROBRAS BIOCOMBUSTÍVEL

ETANOL

A Agência Estado informa que o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, disse esperar para abril o posicionamento do governo sobre a volta da mistura de 25% de etanol à gasolina. "Na medida em que o governo tenha confiança, e nós vamos demonstrar que existe etanol disponível para, num prazo curto, responder à demanda, ele vai voltar aos 25%.". Rossetto afirmou também, de acordo com a matéria, esperar o apoio da ANP para demonstrar os bons níveis dos estoques.

PROMINP

MÃO DE OBRA

O Valor Econômico (B8) publica que a Petrobras discutirá com médias e grandes construtoras um plano para que as empresas do setor identifiquem e retenham mão de obra qualificada no setor de petróleo e gás. De acordo com a matéria, grande parte desses profissionais está migrando para outras áreas depois de formada, o que preocupa a Companhia e força, segundo o texto, uma discussão sobre formas de manter os melhores talentos que saem dos cursos gratuitos do Prominp. Segundo o coordenador-executivo do programa, Paulo Alonso, a indústria do petróleo está perdendo 40% da mão de obra qualificada para outros setores: “Vamos conversar com os contratadores para que os melhores quadros saídos do Prominp permaneçam na indústria de petróleo e gás”, declarou Alonso na reportagem.

INSTITUCIONAL

PREMIAÇÃO I

A revista Meio & Mensagem (68) publica que a 13ª edição do prêmio O Brasileiro do Ano, da Editora Três, no último dia 3, consagrou 16 personalidades que se destacaram em suas áreas de atuação, entre elas a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster.

PREMIAÇÃO II

O SBT transmitiu a entrega do Prêmio Líderes do Brasil 2012. A Petrobras recebeu o prêmio de líder na categoria de indústria de Óleo e Gás, representada pelo diretor de Engenharia, Tecnologia e Materiais, José Antonio de Figueiredo.

PRESTÍGIO

A revista Época Negócios (20-28) publica que a Petrobras ficou em terceiro lugar no ranking das empresas de maior prestígio do Brasil, segundo pesquisa do Grupo Troiano. De acordo com o texto, o levantamento ouviu consumidores de diferentes idades, regiões e classes de renda do Brasil, que avaliaram os principais atributos das marcas corporativas. A matéria informa que a Nestlé ficou em primeiro lugar, seguida pela Natura.

JURÍDICO

SEGURO

Com chamada na capa, o Valor Econômico (C3) publica que a lentidão da Justiça brasileira pode significar mais gastos e incertezas para a maioria das empresas no País, mas para as seguradoras pode representar um mercado potencial e é uma das apostas da expansão do mercado de seguro corporativo em 2013. Segundo a matéria, para as empresas, o seguro pode ser vantajoso porque não imobiliza o capital ou limite de crédito com garantias enquanto o processo se arrasta. Além disso, diz o texto, a garantia judicial é, na média, entre 30% e 40% mais barata que a fiança bancária, de acordo com o coordenador de seguros nacionais da Petrobras, Ricardo Gama Filho. A Petrobras detém a maior apólice do mercado de garantia judicial brasileiro, com cobertura de R$ 971 milhões, afirma a reportagem.

SMES

ESTÃO DE CARBONO

Na coluna Negócios & Cia, em O Globo (28), Flávia Oliveira informa que a Petrobras participa pela primeira vez do Programa Gestão de Carbono, do CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), que irá capacitar 100 fornecedores para fazer inventários de emissões.

MULTA

A Brasil Energia Online noticia que o Ibama negou recurso da Petrobras contra multa de R$ 24,9 milhões por descumprimento de planos de emergência para a Bacia de Santos, acertados em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em 2009. Procurada, a Petrobras não se manifestou até o fechamento da matéria, diz o texto.

PATROCÍNIO

GOLFINHOS

O Globo (7) noticia que a equipe do Projeto Toninhas, que tem o patrocínio da Petrobras, lançou há quatro dias o vídeo-documentário “Toninhas: no limite da sobrevivência”, que retrata o drama de especialistas que tentam garantir a sobrevivência da toninha, o único golfinho brasileiro ameaçado de extinção, e também o livro paradidático “A toninha Babi e sua turma: a importância e a beleza da Baía de Babitonga”.



---------------------------//-------------------------------------------------------------------------



Todas essas matérias estão disponíveis na íntegra no Multiclipping, encontrado no Portal Petrobras (clique em Central de Serviços e digite o termo Multiclipping) ou na internet (http://www.multiclipping.com).

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Navio Celso Furtado comemora um ano em operação na costa brasileira

O dia 25 de novembro foi de comemoração para a tripulação a bordo do navio Celso Furtado. Primeira embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) a entrar em operação, o petroleiro completou um ano de atividades. “Estar no comando do Celso Furtado no seu primeiro aniversário é uma grande honra. É até difícil explicar a sensação, dignifica a minha vida profissional”, afirmou o comandante Lucival Gonçalves de Alcântara.



O aniversário do navio é celebrado num período em que a Companhia tem importantes conquistas, com o lançamento ao mar de duas embarcações do Promef: o suezmax Zumbi dos Palmares e o panamax Anita Garabaldi. Na tripulação desde a primeira viagem do navio, Alessandra Leão dos Santos, subchefe de Máquinas, não esconde a alegria de fazer parte dessa história. “Na festa de aniversário, senti a mesma emoção do dia da entrega. Aqui, todo dia é de superação, um aprendizado. Temos o desafio de conseguir manter o alto padrão do navio e fazer o melhor, cada dia mais”, contou.

Batizado em homenagem ao conceituado economista brasileiro, o navio Celso Furtado reúne as mais modernas tecnologias de segurança e navegação e mais conforto para a tripulação. Clauton Rocha de Azevedo, 2º oficial de Náutica, destaca a performance da embarcação: “O Celso Furtado é sempre muito elogiado. Espero que ele continue nesse caminho em 2013. Acompanhei o navio desde o início e quero sempre vê-lo melhor.”

A equipe do Celso Furtado faz questão de demonstrar o orgulho que sente por tripular o navio. O contramestre Jaildo Fernandes da Silva conta que ser convidado para fazer parte da tripulação foi um dos momentos mais marcantes de sua carreira. “Trabalho com muita satisfação. Para os próximos anos, desejo que esse desempenho continue para que a Companhia cresça ainda mais. Todos estão de parabéns!”, concluiu.
 
Fonte: TRANSPETRO

DESTAQUES NA IMPRENSA



EMPREENDEDORA DO ANO

IstoÉ Dinheiro Online: ”Empreendedora do ano: Graça Foster”

Valor Online: “Petrobras investiu quase R$ 43 bilhões neste ano, diz Graça Foster”

São destaques hoje a matéria a respeito do prêmio de Empreendedora do Ano 2012, que a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, recebeu da IstoÉ Dinheiro, e a reportagem acerca do valor investido na Companhia neste ano.

A IstoÉ Dinheiro Online destaca que a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, recebeu ontem o prêmio de Empreendedora do Ano 2012, da revista IstoÉ Dinheiro. A reportagem relata a trajetória da executiva e os desafios que ela enfrenta no comando da maior empresa brasileira. “Com esse prêmio, a responsabilidade aumenta”, declarou Graça Foster em seu discurso de agradecimento, destaca a matéria.

INVESTIMENTO

O Valor Online publica que a Petrobras investiu aproximadamente R$ 43 bilhões em 2012, segundo a presidente da Companhia, Maria das Graças Silva Foster. “A Petrobras tem consciência do papel que tem no país. Tanto é que já investiu quase R$ 43 bilhões neste ano”, afirmou a executiva na matéria. De acordo com o texto, Graça Foster disse esperar que a empresa dobre de tamanho até 2020.

ABASTECIMENTO

BALANÇA

A Folha de S.Paulo (B8) informa que o Brasil registrou déficit nas trocas comerciais em novembro pela primeira vez desde 2000. A diferença entre importações e exportações ficou negativa em US$ 186 milhões. Há 12 anos, o déficit foi de R$ 658 milhões. Segundo a matéria, o resultado foi influenciado por uma forte alta de 32% nas importações de combustíveis e lubrificantes, devido principalmente à incorporação de compras feitas pela Petrobras em meses anteriores. O Globo (2, 31) O Estado de S. Paulo (B5), Reuters Brasil, GloboNews e CNT também trazem a notícia.

Sobre o assunto, o Valor Online enfatiza que o aumento de 32% nas importações de combustíveis e lubrificantes é resultado da “regularização de desembarques da Petrobras” defasados em até 50 dias, de acordo com explicação da secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Tatiana Prazeres. A executiva ainda afirmou, diz a matéria, que a Petrobras esclareceu que “boa parte das operações que precisavam ser regularizadas já foram feitas em novembro”.

REAJUSTE

No Jornal do Commercio (A3), Aziz Ahmed informa que o aumento do preço da gasolina já está decidido em Brasília, segundo “uma fonte que acompanhou de perto as conversas no governo sobre o assunto”. O colunista diz que o percentual definido seria de 10% nas tarifas cobradas nas bombas dos postos e aconteceria em janeiro ou fevereiro de 2013. Para a Petrobras, segundo a nota, o reajuste seria da ordem de 15%, “para aliviar a Companhia”, que hoje está vendendo no mercado doméstico gasolina a valores abaixo do preço internacional.

INTERNACIONAL

NOVA ZELÂNDIA

O Valor Online informa que a Petrobras desistiu da licença para exploração de petróleo e gás na Nova Zelândia, segundo comunicou o governo do país. De acordo com o texto, o governo da Nova Zelândia disse que a Companhia decidiu devolver a licença após a realização de estudos sísmicos em mais de 3.305 quilômetros. A matéria aponta que, apesar de a desistência ter sido confirmada oficialmente pelo Ministério de Energia e Recursos Naturais e pelo Ministério de Negócios, Inovação e Emprego da Nova Zelândia, “a Petrobras ainda não se manifestou a respeito”.

PETROBRAS BIOCOMBUSTÍVEL

ÓLEO DE PEIXE

Em nota, o Extra (12) informa que a Petrobras Biocombustível e o Ministério da Pesca firmaram parceria para intensificar os estudos na extração do óleo de peixe, a partir das vísceras da tilápia. De acordo com o texto, o objetivo é que o subproduto integre o grupo de produtos que o Brasil transforma em biodiesel.

TRANSPETRO

CONTRATOS

Reportagem em O Globo (29) destaca que a presidente Dilma Rousseff declarou que o pacote de medidas para os portos, com previsão de lançamento para esta semana, terá um conjunto de novas regras regulatórias, ações e investimentos, com o objetivo de dar estabilidade ao investimento no setor, ampliar a competitividade e reduzir a burocracia. Nesse contexto, a matéria afirma que a Transpetro mantém dois terminais com contratos já vencidos.

PATROCÍNIO

PONTE DO SABER

O Jornal do Commercio (A11) noticia que a Ponte do Saber, na Ilha do Fundão, ganhará nova iluminação a partir de hoje à noite. Segundo o texto, o projeto do especialista em luminotécnica Peter Gasper, que fez a iluminação do Cristo Redentor, está orçado em R$ 60 milhões e foi bancado pela Petrobras.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Cerca de 85% dos brasileiros separariam o lixo caso serviço de coleta seletiva estivesse disponível, aponta Ibope

A maioria (85%) dos brasileiros que ainda não conta com coleta seletiva estaria disposta a separar o lixo em suas casas, caso o serviço fosse oferecido nos municípios, aponta pesquisa divulgada na quarta-feira (28) pelo Programa Água Brasil. Apenas 13% dos entrevistados declararam que não fariam a separação dos resíduos e 2% não sabem ou não responderam. O estudo, encomendado ao Ibope, entrevistou 2.002 pessoas em todas capitais e mais 73 municípios, em novembro do ano passado.

Apesar da disposição em contribuir para a destinação adequada dos resíduos sólidos, o percentual dos que não têm meios para o descarte sustentável chega a 64% dos entrevistados. A quantidade de pessoas que contam com coleta seletiva ou que têm algum local para deixar o material separado representa 35% da amostra.

Em relação aos produtos que costumam ser separados nessas casas, as latas de alumínios ficam em primeiro lugar, com 75%, seguidas pelos plásticos (68%), papéis e papelões (62%) e vidros (55%). Os eletrônicos, por outro lado, são separados por apenas 10% dos entrevistados. Cerca de 9% dos entrevistados não separam nenhum material mesmo que o serviço de coleta seletiva esteja implantado na sua região.

Dos que contam com o serviço de coleta seletiva, metade (50%) dos casos tem a prefeitura como responsável pelo trabalho. Catadores de rua (26%), cooperativas (12%) e local de entrega (9%) aparecem em seguida dentre os meios de coleta disponíveis.

O estudo aponta também que a proposta de uma tarifa relaciona ao lixo divide opiniões. A ideia de que quem produz mais resíduos deve pagar uma quantia maior é aprovada completamente por 13% dos entrevistados, 23% concordam parcialmente. Os que discordam completamente a respeito do pagamento da taxa somam 36%. Há ainda os que não concordam, nem discordam (16%) e os que discordam em parte, com 10%.

Na hora de consumir, práticas sustentáveis ainda são deixadas de lado. Preço, condições de pagamento, durabilidade do produto e marca lideram as preocupações do consumidor brasileiro. O valor do produto, por exemplo, é considerado um aspecto fundamental por 70% dos entrevistados. Características do produto ligadas à sustentabilidade, no entanto, como os meios utilizados na produção, o tempo que o produto leva para desaparecer na natureza e o fato de a embalagem ser reciclável, ficam em segundo plano.

Os entrevistados responderam ainda quais produtos devem ser menos usados em suas casas nos próximos três anos. O campeão foi a sacola plástica. O produto é comprado com frequência em 80% das residências, mas 34% dos entrevistados esperam reduzir o consumo. Em seguida aparecem os copos descartáveis (31%), bandejas de isopor (22%) e garrafas PET (21%). No fim da lista, entre os que devem permanecer com alto percentual de consumo, estão os produtos de limpeza perfumados. Apenas 9% estimam que irão reduzir o uso desses materiais.

O Programa Água Brasil é uma iniciativa do Banco do Brasil, da Fundação Banco do Brasil, da Agência Nacional de Águas (ANA) e da organização não governamental WWF-Brasil, com intuito de fomentar práticas sustentáveis no campo e na cidade. (Fonte: Camila Maciel/ Agência Brasil)

SEGUNDO ESTALEIRO DO POLO NAVAL COMEÇA OPERAR EM JUNHO

O estaleiro STX Promar, segundo do polo naval de Pernambuco, começa a cortar as chapas de aço que darão forma ao seu primeiro navio construído inteiramente no Estado em junho de 2013. O mês marcará também a inauguração oficial do empreendimento. A embarcação 100% pernambucana será um gaseiro (destinado ao transporte de gás liquefeito de petróleo, o famoso gás de cozinha). No cronograma da empresa, o gaseiro corresponde ao terceiro dos oito encomendados pela Transpetro. É que os dois primeiros já estão com seus cascos em construção na planta de Niterói (RJ) e serão rebocados em outubro do próximo ano para a unidade na Ilha de Tatuoca, no Complexo de Suape, onde receberão os trabalhos de acabamento.

A primeira entrega do STX Promar do contrato com a Transpetro, no valor de R$ 917 milhões para os oito navios, deverá ocorrer no primeiro semestre de 2014. Ontem, durante o lançamento do programa de qualificação de mão de obra do governo do Estado para o setor naval, o presidente do STX Promar, Miro Arantes, comentou ainda que o grupo está na disputa para construir até quatro embarcações do tipo Pipe-Laying Support Vesse (PLSV) para a Petrobras. O resultado da disputa deve ser divulgado em março do próximo ano. Cada um desses navios custa cerca de US$ 250 milhões e são especializados no lançamento e instalação no fundo do mar de linhas que conectam plataformas de petróleo aos sistemas de produção.

“A gente acha que tem uma grande oportunidade e oferecemos preço para quatro embarcações. Nossa ideia, se formos vencedores, é construí-las aqui”, afirmou Arantes. “Esse estaleiro (de Pernambuco) será o melhor do nosso grupo no Brasil. Toda nossa atividade tende a ser focada aqui. Vamos manter o estaleiro de Niterói, que é focado em navios menores. Em Pernambuco vamos construir os maiores”, complementou o executivo.

O estaleiro STX Promar está 70% construído, com estruturas importantes como o as oficinas e os cais prontos, além de já contar com maquinário. Em um dia de solenidade e afagos, Arantes se mostrou confiante de que a dragagem do canal de acesso ao estaleiro, de responsabilidade do governo do Estado, que começou no início deste mês, estará concluída em fevereiro, muito antes, portanto, da chegada do primeiro casco.

O segundo estaleiro pernambucano é uma sociedade da STX Europe, braço europeu da gigante sul coreana STX, e o grupo brasileiro PJMR. O investimento na unidade é de R$ 300 milhões. Cada navio gaseiro finalizado ou totalmente produzido em Pernambuco custa, em média, US$ 60 milhões. No pico de produção, quando estará cortando 20 mil toneladas de aço por ano, o STX Promar vai empregar 2 mil trabalhadores. Atualmente, já têm carteira assinada na empresa 100 pernambucanos, que estão passando por treinamento no estaleiro de Niterói.

O vice-presidente executivo da STX OSV Norway, Knut Olav, em discurso no evento de ontem, citou os atrasos e problemas de outros estaleiros nacionais como prova de que “é muito desafiador construir navios no Brasil”, mas que acreditava na expertise internacional do grupo e no know how da parceira nacional PJMR para fazer deslanchar a planta pernambucana e atingir o padrão dos estaleiros STX da Noruega, Romênia e Vietnã.

Fonte: Petrobras

PETROBRAS PREMIA OS MELHORES FORNECEDORES DA BACIA DE CAMPOS

RECONHECIMENTO E INCENTIVO AOS FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS.

João Filipe Passos

A Petrobras premiou na última terça-feira (27/11) os melhores fornecedores de bens e serviços da Bacia de Campos. Na categoria Bens, a Flexibras Tubos Flexíveis venceu em Grandes Compras, a Wärtsilä Brasil ganhou em Médias Compras e a Diagonal Comércio e Serviços levou o primeiro lugar em Pequenas Compras. Em Contratos Globais, para fornecimentos de longa duração, a Confab Industrial foi a vencedora.

Vencedores reunidos na premiação (Agência Petrobras)

Já na categoria Serviços, a Climbtec Serviços Técnicos em Altura venceu em Rodízio de Fornecedores, a Locar Guindastes e Transportes Intermodais foi a ganhadora em Grandes Contratos, a PGS Suporte Logístico e Serviços venceu em Médio Contratos e a Analytical Solutions ganhou o primeiro lugar em Pequenos Contratos.

A premiação tem o objetivo de reconhecer o empenho das empresas na melhoria da qualidade no fornecimento de bens e serviços. O gerente geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Campos, Joelson Falcão Mendes, aponta ainda o empenho da Petrobras em fomentar o conteúdo local. “Temos feito esforços consideráveis para estimular a nacionalização e já observamos resultados positivos”, afirmou o executivo.

A avaliação do desempenho dos fornecedores foi realizada entre junho de 2011 e julho de 2012. A análise foi feita por um comitê composto por funcionários da Petrobras. “Seguimos critérios rigorosos no julgamento dos concorrentes. Ficou a cargo do comitê avaliar todos os documentos dos contratos vigentes com empresas sediadas na Bacia de Campos, onde se encontram informações sobre o fornecimento dos bens e serviços. Com base nelas, chegamos ao resultado final desta edição”, explicou o gerente de Contratação de Bens e Serviços na UO-BC, Reinaldo Costa Silva.

O Prêmio Melhores Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras na Bacia de Campos 2012 foi realizado em Macaé (RJ). O evento reuniu empresários de diversos setores e representantes de diversas gerências da Petrobras. Durante a premiação, a Petrobras homenageou instituições parceiras que contribuem com o desenvolvimento do setor na região, como a Onip, o Senac Macaé, a Associação Comercial e Industrial de Macaé (Acim), a Comissão Firjan de Macaé, o Sesi/Senai, o Sebrae e a Redepetro.