Loading...

quinta-feira, 22 de março de 2012

Petrobras abre novo processo seletivo público para preencher mais de 1.500 vagas

Do total de vagas, 874 são para nível médio e 647 para nível superior. Concurso terá inscrições de 27/03 a 11/04. Provas objetivas deverão ser realizadas no dia 06/05.
 
A Petrobras divulgou hoje (22/03) edital para novo processo seletivo público, com o objetivo de preencher 1.521 vagas em todo o país. Do total, 874 vagas são para o nível médio (31 cargos em 24 localidades diferentes) e 647 para o nível superior (29 cargos, com possibilidade de trabalho em qualquer unidade da Federação).

As inscrições serão abertas em 27 de março e vão até 11 de abril pelo site da Fundação Cesgranrio (www.cesgranrio.org.br) ou nos postos credenciados. O edital completo, com a tabela de vagas e cargos, pode ser consultado no site da Petrobras (www.petrobras.com.br) ou no da Fundação Cesgranrio.

A taxa de inscrição é de R$ 35 para o nível médio e R$ 50 para o nível superior. As provas são objetivas e estão previstas para serem realizadas em 6 de maio de 2012. Para o cargo de advogado(a) júnior, haverá ainda prova discursiva. Para os cargos de inspetor(a) de segurança interna júnior e técnico(a) de perfuração e poços júnior também serão realizados exames de capacitação física.

Dentre os cargos com maior número de vagas disponíveis, estão técnico(a) de operação júnior e técnico(a) de administração e controle júnior, para o nível médio, e engenheiro(a) de equipamentos júnior - mecânica e administrador júnior para o nível superior.

O concurso, que tem validade de seis meses, podendo ser prorrogado por igual período, segue a política da companhia de ingresso sistemático de novos empregados.





quarta-feira, 14 de março de 2012

AUMENTO DA TARIFA

Os moradores de 66 cidades do Rio de Janeiro que são atendidos pela distribuidora Ampla vão pagar em média 6,68% mais caro pela energia elétrica a partir de quinta-feira (15). o reajuste foi aprovado hoje (13) pela diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Para as residências, o aumento será de 6,28% e para as indústrias, de 7,7%. A Ampla atende 2,7 milhões de unidades consumidoras. Segundo a Aneel, os índices de reajuste são calculados considerando a variação de custos que a empresa teve no período. A fórmula inclui custos de distribuição, sobre os quais incide o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) e o Fator X, que é calculado com base na produtividade das concessionárias e determina a redução que deve ser aplicada no cálculo do reajuste da tarifa.

Fonte:  Agência Brasil/Redação

ROYALTIES DO PETRÓLEO

A Câmara instalou a comissão paritária composta de parlamentares que representam estados produtores e não produtores de petróleo. O objetivo do colegiado, cuja criação foi proposta pelo presidente Marco Maia, é viabilizar a votação do projeto que trata da distribuição dos royalties (PL 2565/11 ). “Hoje tivemos uma primeira reunião. A intenção é construir um acordo para a votação da matéria, mesmo que não haja consenso no mérito”, disse. A comissão terá 30 dias para apresentar um relatório. O relator do projeto, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), disse que vai buscar um entendimento que não desagrade tanto os estados produtores quanto o texto do Senado e satisfaça os não produtores. “Há uma reivindicação justa da maioria dos estados de uma distribuição mais equitativa, mas precisamos considerar que Rio de Janeiro e Espírito Santo já têm essa receita [do petróleo] em suas contas. Por isso, precisamos achar um ponto comum que seja menos traumático para os dois estados”, explicou Zarattini. Ele ressaltou que o texto do Senado provocará perdas imediatas para os municípios do Rio e do Espírito Santo. O parlamentar defendeu que o corte dos recursos de royalties desses estados seja realizado ao longo do tempo: “Não questionamos a reivindicação dos outros estados, mas é necessário que haja um tempo de adaptação.” A próxima reunião da comissão paritária acontecerá na terça-feira (13). Integrantes da Frente Parlamentar dos Royalties entregarão nesta quarta-feira (14) ao presidente da Câmara, Marco Maia, pedido de urgência para votação do projeto sobre a distribuição dos royalties do petróleo (PL 2565/11). O encontro teve início às 15 horas, no Salão Verde.

Fonte: Agência Câmara/Redação

segunda-feira, 12 de março de 2012

Rio+20 quer deixar legado social e ambiental, diz organizador

Mais do que discutir os rumos do desenvolvimento sustentável no mundo para os próximos anos, a Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável que ocorrerá em junho no Rio de Janeiro, quer deixar um legado para o Brasil na área social e ambiental, fazendo com que as questões levantadas tornem-se parte do dia a dia da população.

Este é um dos desejos do secretário nacional do comitê de organização do evento, Laudemar Gonçalves de Aguiar, responsável pelo planejamento e pela execução das medidas necessárias à realização das atividades como, por exemplo, administração de material, obras, transportes, hospedagem, recursos humanos e segurança.

Em entrevista ao Terra, Aguiar destacou que a Rio+20 será um momento para que o mundo veja o que já está sendo feito no Brasil, e que espera que durante os três dias do evento (20 a 22 de junho) a cidade do Rio de Janeiro esteja inteiramente voltada para as atividades da conferência. “Em relação a outras conferências, esta é a primeira vez que se é oferecido tantos espaços para a sociedade civil”, relata, lembrando que representantes de diversos setores sociais terão, além do espaço reservado dentro do Riocentro, onde ocorrerá a agenda intergovernamental, o Autódromo de Jacarepaguá (local de concentração e exposições), a Arena da Barra (onde haverá atividades da sociedade civil e será ponto de retransmissão de atividades do Riocentro e dos outros espaços), e o Espaço Vivo Rio (destinado a eventos debates). “O evento será o mais aberto ao público possível”, afirmou.

Logística – Ainda faltam cerca de três meses para o começo da Rio+20, mas há muito que ser feito. O processo de organização já está em andamento há quase dois anos, com o planejamento da logística de transporte, segurança e espaços para sediar o evento. Aguiar informa que neste momento está sendo providenciada a hospedagem para as delegações oficiais. De acordo com ele, nem todos os países confirmaram presença, mas entre 5 mil e 6 mil pedidos já foram oficializados.

“Esperamos que até 50 mil pessoas se credenciem na Rio+20 e mais de 100 chefes de Estado participem dos debates”, aponta o secretário. “Se a gente faz Carnaval e Réveillon no Rio, vamos garantir também um evento deste porte. Todos os órgãos de segurança estarão presentes sob o comando do Ministério da Defesa. Nosso esquema de segurança pode ser comparado ao que foi feito na época da Eco-92″, completa.

Para proporcionar a locomoção dos participantes em todos os espaços do evento, que incluem ainda o Museu de Arte Moderna (MAM), o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, o Pier Mauá, o Galpão da Cidadania, o Parque dos Atletas e a Quinta da Boa Vista, haverá criação de linhas de ônibus e de metrô específicas, que facilitem a circulação pela cidade carioca. O secretário também contou que está em desenvolvimento o RioCard, um cartão intermodal que reduziria o tempo de filas na locomoção entre os espaços que integram a Rio+20.

Legado – Após a conferência, não haverá prédios, pistas ou obras decorrentes da realização do evento. “O legado será imaterial”, destaca Aguiar. Conforme o secretário, a Rio+20 não é um evento apenas sobre meio ambiente, mas sobre desenvolvimento sustentável, destacando o aspecto social.

Um dos carros-chefes do encontro, segundo ele, será a questão da acessibilidade – para se ter uma conferência inclusiva, que possibilite a maior participação possível de cidadãos. Assim, a perspectiva é que as ações visando ao acesso a cadeirantes e portadores de deficiências auditivas e visuais sejam parte de uma campanha a favor da inclusão, que se estenderá após o término da Rio+20.

Além disso, a redução do número de papel, usando ao máximo às novas tecnologias, servirá de exemplo para a população que participará e acompanhará a discussão.

Fonte: Portal Terra



Estados e municípios têm até agosto para elaborar planos de gestão de resíduos


Agosto de 2012 será uma data decisiva para a Política Nacional de Residuos Solidos. Nesse mês, a Lei 12.305/10 completa dois anos e se encerra o prazo para que estados e municípios apresentem seus planos de gestão dos resíduos. Os que não o fizerem, não poderão receber recursos federais para ações no setor.

- Se produz lei, se dá prazo para cumprir, mas não se diz onde está o dinheiro para aplicá-la - reclama o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski.

Segundo ele, até um ano atrás, apenas 300 dos mais de 5.500 municípios já haviam elaborado seus planos, incluindo quatro capitais. O presidente da CNM também alerta para a dificuldade de, até 2014, implantar os programas de coleta seletiva e fechar os lixões. Ele estima que seja preciso construir mais de mil aterros sanitários no país.

O diretor de Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Silvano Costa, reconhece o impacto das mudanças sobre os municípios, responsáveis diretos pelo manejo dos resíduos. Afirma, porém, que há um conjunto de instrumentos à disposição das prefeituras.

Ele lembra que em 2011 o MMA abriu edital para que os municípios se candidatassem a receber recursos federais para desenvolver seus planos. Segundo ele, até agora 17 planos estaduais mais o do Distrito Federal e 23 intermunicipais foram contratados pela Caixa Econômica Federal, com repasse de R$ 37 milhões.

Já o Ministério das Cidades tem previsão orçamentária até 2015 de R$ 1,5 bilhão destinado aos resíduos sólidos. Para habilitarem-se aos recursos, os municípios deverão atender requisitos como soluções regionalizadas, sustentabilidade econômica, ambiental e social, com inclusão dos catadores na coleta seletiva regular.

Por meio do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), o ministério já apoia 104 operações de manejo, investindo R$ 392,4 milhões.

Suporte

O senador Cícero Lucena (PMDB-PB) se diz preocupado com o problema gravíssimo das prefeituras que estão despreparadas técnica e financeiramente para implantar as mudanças da Política Nacional de Residuos Solidos (PNRS).

Segundo ele, é preciso dar maior suporte aos municípios menores se não quisermos ver mais uma lei não ser cumprida neste país. Lucena, que foi relator da proposta da PNRS na Comissão de Meio Ambiente, teme pelas sanções às prefeituras que não concluírem seus planos de resíduos sólidos até agosto.

Como prefeito de João Pessoa, ele conduziu o projeto que fechou o Lixão do Roger, na capital, em 2003. As famílias que moravam no local foram transferidas para apartamentos e implantou-se um aterro sanitário.

Desafio

A elaboração de planos de resíduos sólidos por parte dos municípios é importante para enfrentar a descontinuidade administrativa no setor de limpeza urbana. A opinião é da senadora Marta Suplicy (PT-SP). Ela diz que, ao assumir a prefeitura da capital paulista em 2001, encontrou descontrole e falta de gestão estratégica.

Para Marta, a PNRS preenche essas lacunas, principalmente ao introduzir a cooperação entre poder público, empresas e sociedade.

Sobre a erradicação dos lixões até 2014, ela afirma que o prazo é desafiador, mas não impossível. Lembra o orçamento de R$ 1,5 bilhão do governo e a possibilidade de criação de consórcios intermunicipais para viabilizar projetos.

Jornal do Senado
Agência Senado

domingo, 11 de março de 2012

Mais de 11 mil vagas para capacitação profissional

Já estão abertas as inscrições para seleção para cursos gratuitos de qualificação na área de gás e petróleo pelo Prominp. No Rio, são oferecidas, ao todo, 4.602 chances.

Já foi dada a largada para uma das 11.671 mil oportunidades na seleção pública nacional para cursos gratuitos de qualificação profissional pelo Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) em todo o Brasil. No Rio, são 4.602 chances. A formação é o primeiro passo rumo ao sonhado emprego fixo na Petrobras ou na cadeia produtiva do setor, que inclui empresas parceiras da estatal e até as concorrentes.

Foto: Divulgação
Para participar, é preciso ter mais de 18 anos e interesse em agarrar uma das milhares de chances de trabalho na área de petróleo e gás que estão por vir com a exploração da camada pré-sal pela Petrobras. Há vagas para candidatos de todos os níveis de escolaridade. Ao todo, são 7.335 postos para quem tem Nível Fundamental completo, 3.706 para Nível Médio e Técnico e 630 para o Superior.
As oportunidades serão disputadas por meio de seleção pública, composta por provas objetivas e testes físicos — exigidos para os cargos de operador de sonda de perfuração e plataformista de sondas. Os candidatos aprovados que estiverem desempregados terão direito a bolsa-auxílio no valor de R$ 300 (para Nível Fundamental), R$ 600 (Médio e Técnico) e R$ 900 (Nível Superior).
Para se inscrever na seleção, é preciso fazer o cadastro por meio do portal www.prominp.com.br. As inscrições vão até o dia 12 de abril. As taxas de participação cobradas são de R$ 25 (para candidatos com Nível Fundamental de formação), de R$42 (Médio e Técnico) e de R$ 63 (Superior).
Quem não tem condições de arcar com os custos da taxa de inscrição ou que contam com Número de Identificação Social (NIS) podem pedir isenção até o dia 18 de março.

Fique atento ao conteúdo das provas

As provas objetivas do concurso serão aplicadas pela banca organizadora Fundação Cesgranrio. Candidatos que disputam chances que exigem o primeiro ciclo do Nível Fundamental (até a quarta série) farão avaliações de Língua Portuguesa e Matemática. Quem conta com o segundo ciclo do Fundamental (até a oitava série) terá de responder também a questões de Raciocínio Lógico.
As mesmas disciplinas (Português, Matemática e Raciocínio Lógico) caem nas provas dos alunos de Nível Médio. Quem disputa o cargo de Desenhista Projetista de Tubulação terá também de responder a questões de Informática.
Já os candidatos que contam com formação Superior terão de estudar Português, Matemática, Raciocínio Lógico e Conhecimentos Específicos.

O mercado de trabalho do petróleo e gás a um clique
Os salários do setor de petróleo e gás no Brasil (R$14 mil em média) estão entre os cinco maiores do mundo segundo a consultoria internacional pela HAYS Recruiting experts worldwide. Ficamos atrás apenas da Austrália, Noruega, Canadá e EUA numa lista de 50 nações.
É natural que cada vaga aberta seja muito concorrida. Por isso, o segundo passo para quem tem formação para disputar um dos empregos fixos no setor é manter-se sempre atualizado, não parando nunca de estudar.
O terceiro passo, nem por isso menos importante que os anteriores, é ficar atento aos processos de recrutamento. Muitos são abertos apenas para quem está em sala de aula de curso de qualificação, uma vez que é prática nas empresas do setor selecionar profissionais e, antes de eles botarem a mão na massa, oferecer treinamento específico na companhia.
Para auxiliar os interessados nesse passo, a Petrobras conta com o portal ‘Profissões de Futuro’. Por meio do site www.profissoesdefuturo.com.br , estudantes e profissionais de todo o País podem conferir as oportunidades das carreiras de Nível Técnico e Superior ligadas ao segmento de energia. Está lá também lista de cursos gratuitos de formação e qualificação oferecidos pelo Ministério de Minas e Energia em parceria com a companhia.

Na página virtual, o internauta tem acesso a informações sobre cenário da indústria de energia, o mercado de trabalho dos profissionais com Nível Técnico de formação, além de mapa dos cursos ligados à exploração do petróleo e gás. Lá, podem ser encontradas também informações sobre mercado de trabalho e onde é possível estudar.

CONTRATAÇÃO
Anualmente, 50 mil postos de emprego são gerados por empresas ligadas direta ou indiretamente à exploração de petróleo e gás natural.

Segundo dados da Petrobras, só na estatal trabalham hoje 82 mil profissionais. Na companhia, os técnicos de Nível Médio representam dois terços do total de empregados.
O cenário faz com que a empregabilidade das carreiras técnicas supere as das outras categorias. Para se ter ideia, o Plano de Negócios de 2011 a 2015 da Petrobras prevê contratar cerca de 17 mil empregados até 2015. Só este ano, foram abertas duas seleções públicas: uma na Liquigás, com 1.160 postos, e outra na Transpetro, com 602 vagas.

Fonte: Petrobras

quarta-feira, 7 de março de 2012

Prominp abre inscrições para cursos de qualificação para o mercado de trabalho

Petrobras e municípios da Bacia de Campos firmam parceria para divulgar o programa

Quem quer se qualificar para o mercado de trabalho, não pode perder a chance de fazer um dos cursos do Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural). São mais de 11 mil vagas espalhadas em 14 estados. O Programa, realizado pela Petrobras, tem como um dos principais objetivos atender a demanda futura por mão de obra da indústria nacional de petróleo e gás.

As inscrições para o processo de seleção pública já começaram e os candidatos têm até o dia 12 de abril para efetuá-la. Os cursos são gratuitos e estão subdivididos em categorias profissionais de níveis básico, médio, técnico e superior. Para os cursos de nível básico, a inscrição custará R$ 25,00. Nos níveis médio e técnico, R$ 42,00. Já para as categorias de nível superior, o valor é de R$ 63,00.

Para concorrer a uma das vagas oferecidas, o candidato deve ter idade igual ou superior a 18 anos, além de preencher os pré-requisitos do curso desejado. As inscrições podem ser feitas no site do Prominp (http://www.prominp.com.br/), ou nos postos de inscrição credenciados. O processo será executado pela Fundação Cesgranrio.

Existe a possibilidade de isenção da taxa de inscrição para candidatos portadores do Número de Identificação Social - NIS que declararem não possuir recursos financeiros para pagamento do valor. Para fazer jus à isenção da taxa de inscrição, os candidatos devem atender às condições listadas no edital e encaminhar a solicitação, até 18 de março, pelo site do Prominp.

Os candidatos aprovados que estiverem desempregados durante o curso receberão uma bolsa-auxílio mensal no valor de R$ 300,00 (cursos de nível básico) e R$ 600,00 (níveis médio e técnico).

As 11.671 vagas, em 14 estados, estão assim distribuídas: 7.335 para cursos gratuitos de nível básico; 3.706 para os de nível médio e técnico; e 630 para as categorias de nível superior. Em categorias específicas dos níveis médio e superior, há oferta de vagas para pessoas com deficiência (63).

Embora a participação nos cursos não garanta emprego aos alunos, esta é uma grande oportunidade para que milhares de pessoas se qualifiquem e estejam aptas para ingressar no competitivo mercado de trabalho.

Petrobras e municípios da Bacia de Campos firmam parceria para o Prominp



Secretários e representantes de 17 municípios da área de abrangência da Bacia de Campos, entre eles Araruama, Armação de Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Campos, Conceição de Macabu, Carapebus, Macaé, Maricá, São Pedro da Aldeia, São João da Barra, São Francisco do Itabapoana, Saquarema, Iguaba Grande, Rio das Ostras e Quissamã, se reuniram nesta terça-feira (06/03) com a coordenação regional do Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural) para alinhar as ações de divulgação do atual ciclo do programa, que a partir desta quarta-feira (07/03) inicia inscrições para o processo de seleção pública, com o objetivo de atender a demanda futura por mão de obra da indústria nacional de petróleo e gás. Para a região, serão oferecidas 960 vagas para 26 cursos gratuitos em categorias profissionais de níveis básico, médio e técnico.

Representando o gerente geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Campos (UO-BC), Joelson Falcão Mendes, o gerente de Contratação de Bens e Serviços da UO-BC, Reinaldo Costa Silva, disse que a parceria com os municípios é importante para garantir o melhor aproveitamento do programa pelos munícipes da região. “Queremos que essas pessoas contribuam com o mercado e sejam parte do processo de desenvolvimento. Temos demanda por profissionais e essa é uma boa oportunidade para a qualificação em áreas que são gargalos do setor”.

Durante o encontro, os participantes tiraram dúvidas sobre o processo seletivo, trocaram lições aprendidas em ciclos anteriores do Prominp e definiram ações a serem desenvolvidas em cada localidade. “Estamos convocando as prefeituras e entidades interessadas para que elas contribuam com a retenção de candidatos da região, seja desenvolvendo atividades preparatórias os processos de seleção do programa ou mesmo estimulando a adesão em seus municípios”, disse Eliete Rosado, coordenadora regional do programa.