Loading...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

SEGUNDO ESTALEIRO DO POLO NAVAL COMEÇA OPERAR EM JUNHO

O estaleiro STX Promar, segundo do polo naval de Pernambuco, começa a cortar as chapas de aço que darão forma ao seu primeiro navio construído inteiramente no Estado em junho de 2013. O mês marcará também a inauguração oficial do empreendimento. A embarcação 100% pernambucana será um gaseiro (destinado ao transporte de gás liquefeito de petróleo, o famoso gás de cozinha). No cronograma da empresa, o gaseiro corresponde ao terceiro dos oito encomendados pela Transpetro. É que os dois primeiros já estão com seus cascos em construção na planta de Niterói (RJ) e serão rebocados em outubro do próximo ano para a unidade na Ilha de Tatuoca, no Complexo de Suape, onde receberão os trabalhos de acabamento.

A primeira entrega do STX Promar do contrato com a Transpetro, no valor de R$ 917 milhões para os oito navios, deverá ocorrer no primeiro semestre de 2014. Ontem, durante o lançamento do programa de qualificação de mão de obra do governo do Estado para o setor naval, o presidente do STX Promar, Miro Arantes, comentou ainda que o grupo está na disputa para construir até quatro embarcações do tipo Pipe-Laying Support Vesse (PLSV) para a Petrobras. O resultado da disputa deve ser divulgado em março do próximo ano. Cada um desses navios custa cerca de US$ 250 milhões e são especializados no lançamento e instalação no fundo do mar de linhas que conectam plataformas de petróleo aos sistemas de produção.

“A gente acha que tem uma grande oportunidade e oferecemos preço para quatro embarcações. Nossa ideia, se formos vencedores, é construí-las aqui”, afirmou Arantes. “Esse estaleiro (de Pernambuco) será o melhor do nosso grupo no Brasil. Toda nossa atividade tende a ser focada aqui. Vamos manter o estaleiro de Niterói, que é focado em navios menores. Em Pernambuco vamos construir os maiores”, complementou o executivo.

O estaleiro STX Promar está 70% construído, com estruturas importantes como o as oficinas e os cais prontos, além de já contar com maquinário. Em um dia de solenidade e afagos, Arantes se mostrou confiante de que a dragagem do canal de acesso ao estaleiro, de responsabilidade do governo do Estado, que começou no início deste mês, estará concluída em fevereiro, muito antes, portanto, da chegada do primeiro casco.

O segundo estaleiro pernambucano é uma sociedade da STX Europe, braço europeu da gigante sul coreana STX, e o grupo brasileiro PJMR. O investimento na unidade é de R$ 300 milhões. Cada navio gaseiro finalizado ou totalmente produzido em Pernambuco custa, em média, US$ 60 milhões. No pico de produção, quando estará cortando 20 mil toneladas de aço por ano, o STX Promar vai empregar 2 mil trabalhadores. Atualmente, já têm carteira assinada na empresa 100 pernambucanos, que estão passando por treinamento no estaleiro de Niterói.

O vice-presidente executivo da STX OSV Norway, Knut Olav, em discurso no evento de ontem, citou os atrasos e problemas de outros estaleiros nacionais como prova de que “é muito desafiador construir navios no Brasil”, mas que acreditava na expertise internacional do grupo e no know how da parceira nacional PJMR para fazer deslanchar a planta pernambucana e atingir o padrão dos estaleiros STX da Noruega, Romênia e Vietnã.

Fonte: Petrobras

Nenhum comentário:

Postar um comentário