Loading...

sábado, 27 de agosto de 2011

Pesquisa revela o que não pode faltar nas bagagens dos executivos, mesmo nas viagens de negócios

Além de planilhas, relatórios e todo e qualquer aparelho que possa mantê-lo conectado com o escritório 24 horas por dia, como iPad, laptop e smartphone, que outros itens o executivo moderno leva na mala quando precisa viajar a negócios? Cada vez mais decididos a investir em qualidade de vida, esses profissionais carregam roupas apropriadas para um treino de corrida, uma esticada na academia ou - por que não? - um mergulho na piscina do hotel durante essas viagens. É o que revela pesquisa do Grupo Regus, especializado em soluções para ambiente corporativo, sobre os itens que não podem faltar na bagagem dos homens de negócios. Um bom livro, claro, também é fundamental, completa o estudo, para o qual foram entrevistados 17 mil profissionais em mais de 80 países, incluindo o Brasil.

Do total de profissionais de empresas instaladas no Brasil que participaram da enquete, 45% deles declararam que são inseparáveis do vestuário apropriado à prática de exercícios físicos. A maioria (65%), no entanto, elegeu um bom livro como companheiro de viagem. Outros itens que podem ser facilmente encontrados na bagagem dos executivos brasileiros são jogos de computador para entretenimento (uma opção de 20% dos entrevistados) ou um guia de viagem para um passeio na cidade nas horas de folga, preferência de 17% desses profissionais.

Em todo o mundo, cerca de 27% ( mais de um quarto dos entrevistados pela Regus) confessaram que carregam roupa de academia, sunga ou maiô na bagagem. Entre os itens mencionados, 16% afirmam que também não pode faltar uma foto da família. E para 15% dos executivos que participaram da enquete é importante levar na bagagem um presente para os anfitriões, como uma maneira de reforçar o relacionamento profissional.

Também não faltaram itens inusitados. Como mostra a pesquisa, uma parte dos executivos carrega na mala tapete para a prática de ioga e até fotos dos gatos de estimação.

De acordo com Guilherme Ribeiro, diretor da Regus no Brasil, esses objetos, que incluem desde equipamento de ginástica a alimentos de preferência do executivo, geralmente revelam como a vida profissional e pessoal tentam coexistir:

- A linha entre os negócios e o prazer pessoal está ficando cada vez menos clara. Por isso, mais pessoas optam por levar um pedacinho de suas vidas particulares nas viagens, quando estão longe de casa. Isso também pode acontecer já que um número maior de pessoas trabalham em ambientes flexíveis. E gostam de levar algo consigo que acrescente um toque pessoal ao lugar em que estão trabalhando no momento, seja onde for.

Compare os itens pessoais levados em viagens de negócios pelos empresários brasileiros e de outros países:

Brasil:

- Um bom livro -65%
- Roupa de banho / Roupa esportiva - 45%
- Jogos eletrônicos para entretenimento no tempo vago -20%
- Guia de viagem para eventuais passeios -17%

Outros países:

- Um bom livro - 49%
- Roupa de banho / Roupa esportiva - 27%
- Fotografia da família -16%
- Presente para os anfitriões -15%

Fonte: Regus




Nenhum comentário:

Postar um comentário