Loading...

terça-feira, 9 de março de 2010

PRÉ-SAL

FUNDO SOCIAL É APROVADO

Finalmente após o recesso do carnaval, a Câmara dos Deputados retomou na última terça-feira, dia 23, as votações dos projetos de lei que formam o marco regulatório para a exploração do pré-sal. O primeiro projeto que foi apreciado estabeleceu a criação do Fundo Social do pré-sal aprovado por 330 votos contra apenas um. O Fundo Social é uma poupança com recursos advindos da exploração do pré-sal e prevê a aplicação do dinheiro nas áreas de combate à pobreza, educação, saúde, ciência e tecnologia e na mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Insatisfeito com a aprovação desse projeto pela Câmara, o governo tentou anular essa votação, apresentando outra proposta mais genérica, porém sem sucesso. Pelo texto aprovado, a destinação é mais clara: “No mínimo 5% dos recursos a serem aplicados no combate à pobreza serão destinados a um Fundo Específico, a ser gerido pelo Ministério da Previdência Social, para recomposição da diferença entre o que foi recolhido em salários mínimos e efetivamente pago pela Previdência Social e seus segurados".

Além da votação do pré-sal, na última quinta-feira, dia 25, a Petrobras anunciou a descoberta de dois reservatórios de petróleo localizados na Bacia de Campos, uma no pós-sal e outra no pré-sal. O poço exploratório foi perfurado na área de concessão de produção de Barracuda, a cerca de 100 km do litoral do Estado do Rio de Janeiro, em águas onde a profundidade é de 860 metros. A Petrobras já tem estrutura de produção e escoamento instalada na área. Uma das acumulações descobertas foi em reservatórios carbonáticos do pré-sal e estimativas preliminares indicam a presença de aproximadamente 40 milhões de barris, em reservatórios com boa produtividade.

A outra descoberta foi uma acumulação de petróleo em reservatórios arenosos do pós-sal, que já apresentam histórico de produção na área de Barracuda. Estima-se que o volume de óleo recuperável nessa acumulação seja de 25 milhões de barris. Aproveitando a completa infraestrutura de produção e escoamento já instalada na área, a companhia estuda a possibilidade de interligar o poço à plataforma P-43, que já opera no Campo de Barracuda. Com isso, a descoberta vai se transformar mais rapidamente em recursos financeiros do que na Bacia de Santos, que precisa desenvolver a estrutura para exploração de óleo.

ITAGUAÍ COM FOCO NO PRÉ-SAL

Outro fato que mereceu destaque na última semana, é que a cidade de Itaguaí pode se tornar a Macaé do pré-sal. Segundo especulações nos meios empresariais, a Petrobras tem planos de transformar a área em base para o investimento de bilhões de reais na exploração petrolífera da camada de pré-sal. A estatal teria decidido manter Macaé, na Região Norte Fluminense, como a base apenas da exploração da Bacia de Campos e rejeitado a oferta do governo paulista para concentrar seus investimentos na exploração do pré-sal em Santos.

A estatal montaria em Itaguaí uma grande base operacional de suporte à extração do petróleo e do gás da camada de pré-sal, com centros de treinamento, contratação de helicópteros e barcos de apoio, ampla área de manutenção de equipamentos e até um possível estaleiro para reparos navais, entre outros investimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário