Loading...

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

ICMbio inicia ações de proteção do Parque Nacional de Jurubatiba

Visando garantir a integridade dos ecossistemas protegidos pela Unidade de Conservação do Parque Jurubatiba, o Instituto Chico Mendes de Conservação (ICMbio) em parceria com as guardas municipais ambientais de Quissamã, Carapebus e Macaé iniciou na última sexta-feira (17) as ações de proteção do Parque. Essa primeira ação contou com a participação de seis profissionais sendo três da guarda municipal ambiental de Quissamã e três do ICMbio.

As ações conjuntas visam coibir a pesca e caça ilegais, desmatamentos, ocupações irregulares, visitação desordenada e principalmente a ocorrência de incêndios florestais.

Durante a ação, a pesca ilegal foi coibida no interior das lagoas costeiras protegidas pelo Parque, houve ainda a apreensão de anzóis de bóia, redes e uma embarcação usada para a prática do crime ambiental.

“Acampamentos foram derrubados e os peixes capturados (que ainda estavam com vida) foram devolvidos na lagoa. Essa ação foi realizada em Quissamã - além disto um proprietário rural foi notificado por realizar intervenções na área para implantação de pastagem”, explicou Marcos Cezar, analista ambiental do ICMbio”.

Ainda de acordo com Marcos essa e as demais ações a serem realizadas, além terem, entre os objetivos, garantir a integridade dos ecossistemas, visam também permitir que os motivos que levaram a criação do Parque sejam alcançados, tais como a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica - possibilitando assim a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

As próximas ações preveem participação da Polícia Federal em Macaé, das guardas municipais ambientais dos três municípios (Macaé, Quissamã e Carapebus), além do ICMbio.

“Vamos seguir um planejamento pré-estabelecido que visa integrar ações de fiscalização com ações estruturantes (pagamento dos proprietários que possuem terras no interior do Parque - tais como regularização fundiária, construção de infraestrutura de apoio, prevenção e combate a incêndios florestais, educação ambiental e implementação do uso público da Unidade)”, disse Marcos, acrescentando ainda que a proteção da área deve ser ampliada até 2011.

"As ações de proteção são permanentes e vão continuar por período indefinido."

"Entendemos que uma das ações que pode contribuir mais na proteção da restinga e lagoas costeiras do Parque Nacional de Jurubatiba é a implantação do uso público da Unidade (passeios de barco, bugre, caminhadas, velas, caiaques, etc) pois o bom uso espanta o mau uso", ressaltou Marcos, dizendo ainda que o infrator (caçador, pescador ilegal, desmatador) terá sua atividade limitada à medida que a Unidade for sendo visitada de forma regular.

"Para permitir o uso público da Unidade, o Instituto Chico Mendes vem, em conjunto com as prefeituras locais, preparando os estudos de capacidade de carga, implantação de infraestrutura de apoio e licitação para concessão dos serviços. Após a conclusão destes trabalhos a visitação será oficialmente aberta", esclareceu Marcos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário